Pular para o conteúdo

Acrílica Sobre Tela 35X35cm

Nunca segui fervorosamente uma religião, mas tive formação católica e estudei em colégio de freiras. Achava bonito o terço católico como objeto e admirava quem o rezava. Cresci e conheci outras formas de lembrar o divino. Buda, Ganesha, Yemanjá. O sol, a lua e o mar. Sabedoria, bondade e alegria. Os ventos suaves e seus perfumes tocando o rosto, os raios de luz pelas frestas e as cores do pôr do sol. O cheiro da terra molhada, do café pela manhã e do pão assando. As visitas da minha avó materna, a astúcia da minha irmã e a lealdade da minha mãe. Captei muito cedo a vastidão da espiritualidade, a pluralidade dos atos devocionais e a grandiosidade dos pequenos milagres da vida.

Ainda assim, há conexões que se apresentam mais fortes e profundas. Há pouco tempo, pintei essa tela, Bênçãos da Mãe Maria. Até aqui, foi o trabalho que mais me emocionou pela presença constante de uma energia de proteção e pureza. Durante o feitio dessa pintura, bastante guiada pela própria Maria, conversamos muito. Ela é, também, muito divertida. Quer ser , em outras pinturas, um pouco de todas as mulheres que enobrecem e colorem o Planeta Terra. Ela quer ser, também, um pouco de todos aqueles que têm alma de mulher. Quer tons de pele, cabelos, roupas, tudo diferente! Até piercing e tatuagem. Para Maria, as formas e os nomes pouco importam.

Agora, enquanto escrevo esse texto, ela pede para que nos elevemos transcendendo a ideia de que a matéria é uma verdade definitiva. Ela nos lembra, com muito amor, que a materialidade é uma simples experiência e que uma vida completa é como um abraço que aconchega mas não aperta. É como um perfume que invade mas não afeta. Como luz que elimina completamente a escuridão mas não faz doer a vista.

Mãe Maria quer nos abençoar e pede para que, olhemos em seus olhos, refletidos nessa pintura, por alguns instantes e levando nossas mãos ao coração, fechemos os olhos e sintamos o calor das suas mãos no alto das nossas cabeças. Assim, será trazida a doce recordação da ternura que habita os corações humanos. Amém!

Caso sinta de aprofundar a experiência, tire alguns minutos para se conectar à meditação intuitiva disponível no áudio abaixo.

Meditação para Conexão com a Ternura da Mãe Maria

Compartilhar

1

💛

Lugar da lembrança de quando criança; as risadas mais gostosas. Quando doía a barriga e não era doença. Bem ao contrário.

Da recordação dos cheiros e dos jeitos dos adultos das primeiras guianças, entre tantas que se revelariam mais à frente. De reviver gostos guardados a sete chaves; rir encolhendo os ombros enquanto levava as mãos fofinhas à boca. Gestual digno de quem sabe bem o que é uma boa travessura. De saborear, mais uma vez, momentos de lambuzar com doce, e sem culpa, a alma da criança que resiste ao passar do tempo. É espaço para recolher, sem pressa, os escombros, as peças quebradas, as partes separadas para fazer arte. Novas formas com retalhos. Ressignificar, reciclar; fazer tudo tomar ar e sol. Perceber milagres e não mais contar migalhas. Embarcar num carrossel de cores, luzes e música. É festa! CO-ME-MO-RAR, pois tudo integrado está.

É o tempo do compromisso. A ideia da obrigação não faz mais sentido.

É tudo isso e mais um pouco.

É o sonho dos vivos.

Meditação O Pote - através dos Registros Akáshicos

Compartilhar

3

Não é um lugar. É caminho. Ponte, sustentação, elevação em direção à vontade de Deus, Mente de Amor, Inteligência Suprema e Fonte Criadora. Ninguém O habita. É ele, O Sol Crístico, que em todos habita como a chama da verdadeira vocação de todos os seres que vivem a realidade do Cosmos. Não está no Céu, nem está na Terra. Em nada está mas Tudo É. É a voz da intuição e é o desejo ardente do coração que inclui e integra; nada separa. É a certeza da confiança e o bem-estar diante das escolhas. É pequeno e é grande ao mesmo tempo porque a Ele nada se compara.

Ele, puro em sabedoria e resignação, nada compara. É distante da mecânica da mente que apenas raciona mas faz mergulho profundo nas emoções, o portal mágico da humanidade para sentir o vínculo da alma com a abundância de ser Filha da Fonte infinita de Amor. Toda filiação herda involuntariamente. Não há nada em sua consciência intelectual de pessoa humana que faça mais ou menos pela herança que já é uma com você. Todo sentimento de vazio e conceito de doença vem da negação dessa herança. Todo ato violento nasce dessa violência primeira que se reflete no abraço não dado, no afeto não externado, na caridade não oferecida, na compreensão que morre pela imposição, na respiração que fracassa quando os papeis da rotina são confundidos com identidade.

Abraçar o Sol Crístico, a origem do pulsar do coração, é o único movimento necessário para libertar o Novo Mundo de harmonia que espera pela raça humana. Deixar-se tomar pela verdade desse Sol de Amor é desencarcerar a humanidade em sua mais autêntica acepção. É transformar chumbo em ouro num piscar de olhos, num passe de mágica. É perceber, enfim, que a mudança não vem da criação de algo inédito, vem do enxergar uma existência antiga e cheia de vida. Esse Sol, que nem nasce e nem morre no horizonte, é presença constante como a respiração humana e o sopro de Deus que mantem o Cosmos em movimento.

O seu esquecimento sobre a verdade desse Sol, que emana luz de dentro de você e ao seu redor, não O entristece, mas lhe adoece a alma e lhe enfraquece os ossos. É desperdício de energia e de inteligência. É como quem desperdiça o tempo precioso da vida negando o espaço aos singelos afetos de todos os dias. Pensamentos virtuosos, emoções acolhidas, alimentação enriquecida, movimento ao corpo, expressão verdadeira, compaixão a todos. Tudo isso faz brilhar mais forte o Sol Crístico que é sentimento e é ação ao mesmo tempo. O Sol Crístico brilha como brilham os seus olhos cheios de emoção, ri como gargalham as crianças de todas as idades, aquece como a confiança que vem da aceitação, liberta como o perdão que vem do correto entendimento, corrige como uma mãe que alinha a roupa de uma filha ou de um filho, aponta o caminho como a mão generosa de um pai.

O Sol Crístico é pai, mãe, filho, filha e Espírito Santo. É vida, morte e renascimento. É o som da respiração sem obstruções. É verbo em você, lembrando que amar é a inacabável obra prima do Cosmos. E você é a genuína tela em branco, onde toda magia divina se revela e é, ao mesmo tempo (com)provada.

Texto escrito com o suporte de Toda a Fraternidade Branca. Gratidão.

Compartilhar