Pular para o conteúdo

Acrílica Sobre Tela 35X35cm

Nunca segui fervorosamente uma religião, mas tive formação católica e estudei em colégio de freiras. Achava bonito o terço católico como objeto e admirava quem o rezava. Cresci e conheci outras formas de lembrar o divino. Buda, Ganesha, Yemanjá. O sol, a lua e o mar. Sabedoria, bondade e alegria. Os ventos suaves e seus perfumes tocando o rosto, os raios de luz pelas frestas e as cores do pôr do sol. O cheiro da terra molhada, do café pela manhã e do pão assando. As visitas da minha avó materna, a astúcia da minha irmã e a lealdade da minha mãe. Captei muito cedo a vastidão da espiritualidade, a pluralidade dos atos devocionais e a grandiosidade dos pequenos milagres da vida.

Ainda assim, há conexões que se apresentam mais fortes e profundas. Há pouco tempo, pintei essa tela, Bênçãos da Mãe Maria. Até aqui, foi o trabalho que mais me emocionou pela presença constante de uma energia de proteção e pureza. Durante o feitio dessa pintura, bastante guiada pela própria Maria, conversamos muito. Ela é, também, muito divertida. Quer ser , em outras pinturas, um pouco de todas as mulheres que enobrecem e colorem o Planeta Terra. Ela quer ser, também, um pouco de todos aqueles que têm alma de mulher. Quer tons de pele, cabelos, roupas, tudo diferente! Até piercing e tatuagem. Para Maria, as formas e os nomes pouco importam.

Agora, enquanto escrevo esse texto, ela pede para que nos elevemos transcendendo a ideia de que a matéria é uma verdade definitiva. Ela nos lembra, com muito amor, que a materialidade é uma simples experiência e que uma vida completa é como um abraço que aconchega mas não aperta. É como um perfume que invade mas não afeta. Como luz que elimina completamente a escuridão mas não faz doer a vista.

Mãe Maria quer nos abençoar e pede para que, olhemos em seus olhos, refletidos nessa pintura, por alguns instantes e levando nossas mãos ao coração, fechemos os olhos e sintamos o calor das suas mãos no alto das nossas cabeças. Assim, será trazida a doce recordação da ternura que habita os corações humanos. Amém!

Caso sinta de aprofundar a experiência, tire alguns minutos para se conectar à meditação intuitiva disponível no áudio abaixo.

Meditação para Conexão com a Ternura da Mãe Maria

Compartilhar

1

💛

Lugar da lembrança de quando criança; as risadas mais gostosas. Quando doía a barriga e não era doença. Bem ao contrário.

Da recordação dos cheiros e dos jeitos dos adultos das primeiras guianças, entre tantas que se revelariam mais à frente. De reviver gostos guardados a sete chaves; rir encolhendo os ombros enquanto levava as mãos fofinhas à boca. Gestual digno de quem sabe bem o que é uma boa travessura. De saborear, mais uma vez, momentos de lambuzar com doce, e sem culpa, a alma da criança que resiste ao passar do tempo. É espaço para recolher, sem pressa, os escombros, as peças quebradas, as partes separadas para fazer arte. Novas formas com retalhos. Ressignificar, reciclar; fazer tudo tomar ar e sol. Perceber milagres e não mais contar migalhas. Embarcar num carrossel de cores, luzes e música. É festa! CO-ME-MO-RAR, pois tudo integrado está.

É o tempo do compromisso. A ideia da obrigação não faz mais sentido.

É tudo isso e mais um pouco.

É o sonho dos vivos.

Meditação O Pote - através dos Registros Akáshicos

Compartilhar